quarta-feira, 22 de junho de 2016

Despedida dos 39

Hoje é meu último dia com 39 anos.
Primeiro dia de férias!
E a alegria é imensa!
Primeiro, porque se der tudo certo amanhã faço 40 e entro na idade da loba! Auuuuuu...
Mas dando um tempo de tudo, relembrei muita coisa e a gratidão veio forte.
Com certeza, às pessoas que me puseram neste mundão louco: Otávio e Fátima!
No mundo de inflação, ditadura, pós-ditadura, pobreza, criar uma filha nestas condições é tarefa para poucos! E aqui estou eu, graças aos esforços dos dois!
Minha mãe sempre dedicou o seu melhor: carinho e atenção, incondicional!
Meu pai: seu trabalho para nos sustentar e sua força, física e espiritual, para manter a família! Até hoje me pergunto como ele conseguia passear com a gente nos braços, aos finais de semana em São Paulo? O cara trabalhava muitas horas extras por dia e no final de semana estava disposto para nos levar para passear...fosse à pé, de ônibus ou de carro velho! Gratidão imensa!!!!
Eu tive o prazer de aprender um pouco de piano na infância e isso me despertou para o refinado mundo da música clássica: Johannes Brahms, Chopin, Bach, Vivaldi e tantos outros!
E tive uma irmã que trouxe tanta alegria para minha vida, que é impossível dissociá-la desse sentimento.
Ela sempre foi a menina do movimento, da novidade, da amizade e da alegria. E tive a sorte de desfrutar de tudo isso bem no início e continuo com a mesma sorte até os dias de hoje.
Na adolescência eu conheci as bibliotecas: Machado de Assis, Monteiro Lobato, Clarice Lispector, Tolstoi, Dostoyevsky, Maiakosvky, Milan Kundera, Gabriel García Marquez, Graciliano Ramos, Shakespeare, Albert Einstein, Buda.
E tive grandes amigos, que talvez nem se lembram mais de mim, mas que fizeram grande diferença: Yurion, Paula e Tati.
A faculdade foi meio turbulenta, mas mesmo assim me fez conseguir um emprego estável e seguro, que era o que eu procurava no momento.
E a capacidade de me superar em todos os meus atrasos e conseguir passar em concursos.
Trouxe para a minha vida uma disciplina alemã e uma vontade surreal de superação.
Teve um tempo também para conhecer pessoas e cidades, e a cada uma delas eu devo um salve, porque foram experiências incríveis!
Na fase adulta, mesmo vindo do nada consegui comprar o meu lar, sozinha. Para muitos isso pode não significar grande coisa, mas acredite, para mim é um feito sobrenatural!
Cuidei de cinco filhos peludos: Tetê, Tutuca, Shaolin, Fofa e Chandel. Com cada um, aprendi muita coisa. A postura, a matriarca, a doçura, o ser, as peraltices, a individualidade, a personalidade, a inteligência única, o aconchego, o carinho, a afetividade, o amor, as doenças, a morte...
E fiz outra faculdade, que me possibilitou testar minha paciência, minha capacidade de resiliência e persistência, porque tudo aconteceu enquanto eu estava naquele curso.
Meu coração ficou devastado com um término, minha mãe adoeceu gravemente, conheci o amor da minha vida e fiz uma grande amiga: Paty e eu adoeci.
Mudei de trabalho, e por um tempo foi muito gratificante, mas depois veio o sentimento de que é preciso mudar...de novo.
Conheci o maior amor da minha vida: Élvis! Com ele aprendi que posso ser amada só por ser eu mesma, sem invenção, sem máscara, de cara lavada ou não. Aprendi que persistir é preciso, que "comigo é a guerra" e que autoestima é uma das coisas mais importantes do mundo! Élvis, meu amor, minha eterna gratidão!!!!!
Quase perdi minha vida, dois meses em coma induzido, revivendo o mito da Bela Adormecida e com meu príncipe desesperado - procurando me acordar de todas as formas.
Mas a vida, na sua infinita bondade, me proporcionou uma ressuscitação e aqui estou eu, prestes a fazer os 40!
Conheci pessoas no trabalho que marcaram minha forma de ver o mundo: Cacá, Marco, Sônia, Marília e Bete.
E falando em amizades: Marcos e Roberta, vocês têm sido fenomenais!
E ultimamente tenho aprendido a dançar, não que a vida já não tivesse me ensinado, mas agora com mais harmonia, ritmo e lazer: Priscila e Liliam, minhas lindas professoras de dança, mulheres empoderadas que empoderam outras!
Nestes 40 anos, vivi e senti muita coisa e finalmente tenho muito orgulho de mim.
Vim do nada e para ele voltarei, mas construi tanta coisa, num mundo interno tão rico e fantástico!
E descobri que para mim, desculpem os outros, mas The Smiths é a banda do século!!! A banda que cantou que pessoas "estranhas", "esquisitas" e "tímidas" são ótimas!
E tem minha coach Aline me ensinando muitooooo agoraaaa!!!
Um brinde à vida, à gratidão e à toda jornada, porque no fundo, o importante mesmo é o caminhar, as pessoas que você encontra neste caminho e tudo o que você aprende com ele!
Salve!

Nenhum comentário:

Postar um comentário